6 de janeiro de 2011

2010 @ Flur

A minha lista e os meus comentários do balanço de 2010, publicados na newsletter da Flur.

DISCOS:


The-Dream "Love King"
Taylor Swift "Speak Now"
Kelis "Flesh Tone"
Sade "Soldier Of Love"
Lady Antebellum "Need You Now"


COISAS:

As manifestações estudantis em Londres: um enorme sinal de esperança, por uma geração que fez o que tinha a fazer: não esperou pelos sindicatos e partidos esclerosados e lutou (luta) pelos seus direitos;

A confirmação que, por cá e não só, e mesmo num mundo onde o capitalismo selvagem treme como varas verdes, bancos e corporações continuam a estar acima das obrigações legais e/ou morais que se aplicam às pessoas de quem eles, no final do dia, dependem;

O ressurgimento dos dementes que governam a Coreia do Norte;

O crime ecológico no Golfo do México;

A continua e admirável sobrevivência de um oásis de civilização (Israel), contra muito e contra muitos.


2010:

O ano teria sido bem mais pobre sem os seguintes escrevedores, sites, jornais e revistas: Alex Macpherson, David Hepworth, Martin Clark, Dan Hancox, Melissa Bradshaw, Frank Kogan, Hattie Collins, Mark Sinker, Mark Fisher, Marcello Carlin, Tom Ewing, Joe Muggs; Freaky Trigger, The Arts Desk, The Singles Jukebox; London Review of Books, The New York Review of Books; The Economist. Ah, e Mad Men e Lady Gaga, claro.


2011:

O fim do domínio do lóbi indie e da classe rock dos 70s e 80s nos media.

Sem comentários: