13 de dezembro de 2010

Madonna

Publicado na Time Out em Abril de 2010:


Madonna
Sticky & Sweet Tour
Warner
****
A Hard Candy, outro álbum mediano numa discografia onde eles começam a ganhar a dianteira (mas, ainda assim, um álbum consciente que a pista de dança é o sítio certo para estar), seguiu-se a digressão mundial Sticky & Sweet, que passou pelo Parque da Bela Vista em Setembro de 2008 sem impressionar por aí além. Mas ao experimentar este DVD, presume-se que Madonna há-de ter feito melhorias substanciais no espectáculo nos três meses que separaram a passagem por Lisboa desta gravação efectuada em Buenos Aires.

As melhorias começam pelo próprio material de Hard Candy, que aqui surge renascido e mais robusto, por virtude própria e pelo magnífico trabalho de megamixagem, remistura e reconfiguração em massa a que as canções de Madonna são sujeitas, muitas delas abrindo-se para a entrada de pedaços de temas alheios. Mas não só: “Borderline” ganha uma surpreendente versão emo com guitarras na linha da frente.

Em “She’s Not Me”, a cantora vandaliza duplos de imagens iconoclastas suas do passado. A galeria de vítimas não contempla a Madonna de Evita, o que é pena, pois nada, nem o pretexto geográfico, justifica o regresso ao vómito que “Don’t Cry for Me Argentina” induz – em qualquer versão, em qualquer circunstância. O que vale é que pouco depois chega uma versão superlativa de “Like a Prayer”, miscigenada com os sintetizadores euro-tecno de “Feels Like Home” de Meck ft. Dino.

A realização do DVD não tem o génio nem a visão conceptual que Jonas Akerlund entregou a The Confessions Tour, o filme-concerto da anterior digressão de Madonna, mas cumpre sem mácula. Dito isto, evite em absoluto o CD que vem nesta embalagem, uma paupérrima versão digest do espectáculo com um inconcebível som cavernoso.

Sem comentários: