11 de março de 2006

Three 6 Mafia

É uma mensagem três-em-um. Para chamar a atenção para este texto de Hua Hsu que situa os Three 6 Mafia como percursores do crunk em pleno início dos anos 1990. Para celebrar a justíssima conquista no último domingo do Oscar para melhor canção por It's Hard Out Here for a Pimp, do filme Hustle & Flow (e a passagem deles pelo palco para receber a estatueta foi de looooooooonge a mais entusiasmada, numa cerimónia apagada e onde o humor glaciar de Jon Stewart tornou a coisa ainda mais bizarra - na altura JS disse, e bem, que os T6M pareciam até aí os únicos genuinamente felizes por receber o Oscar). E para chamar a atenção para a óptima revista virtual homónima ligada à loja online de mp3 nova-iorquina eMusic (já na lista das ligações aqui à esquerda, mais umas quantas coisas que foram acrescentadas nas últimas semanas). A revista parece constar de uma série de críticas em destaque de discos em stock e, crucialmente, de colunas que estimulam a relação de cumplicidade entre os adeptos de determinados géneros e o respectivo escriba «da casa». Ainda não percebi com que periodicidade há textos novos mas a equipa de colunistas inclui, além de Hua Hsu no Urban/Hip-Hop, gente excepcional como a Ann Powers no Rock/Pop (embora desconfie que ela esteja de saída, já que acaba de ser contratada pelo Los Angeles Times para o cargo de «senior music critic», um posto comum nos diários de referência americanos e que faz qualquer camarada de armas português suspirar de inveja e imaginar o dia em que, entre nós, a pop cultura seja levada suficientemente a sério para que algo parecido aconteça), o Philip Sherburne na Electrónica, o Douglas Wolk no Alternativo/Punk, e o Keith Harris na Country/Folk, e gente aparentemente interessantíssima ainda, pelo menos, no Jazz (Kevin Whitehead) e nas Bandas Sonoras (Neal Pollack). Para a semana junta-se-lhes o grande, enorme Michaelangelo Matos no papel de «managing editor» (não, não sei o que isso quer dizer ao certo), abandonando assim o cargo de editor de música no Seattle Weekly - o fim de uma micro-era gloriosa.

Sem comentários: